quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Por que o próximo eclipse solar é tão importante? A NASA explica

Eclipse solar (imagem referencial)

Em 21 de agosto os moradores dos EUA irão observar, pela primeira vez em 99 anos, um eclipse solar completo. O fenómeno durará mais de dois minutos. Mas o que torna esse acontecimento num evento tão especial?

Muitos cientistas estão esperando com impaciência o eclipse para observar os efeitos da perda súbita de radiação solar ultravioleta.

O eclipse desconectará a fonte da ionosfera [a parte da atmosfera terrestre permanentemente ionizada devido à fotoionização provocada pela radiação solar].

Durante o eclipse esta capa passará das condições diurnas às nocturnas e vice-versa, revela o especialista da Universidade de Colorado, o astronauta Bob Marshall.

Os cientistas da NASA consideram que esse eclipse de duração recorde é "uma experiência realizada e oferecida amavelmente pela natureza".

Segundo antes foi informado, em 21 de agosto de 2017, a agência espacial norte-americana irá lançar dois bombardeiros WB-57F para perseguirem a sombra da Lua durante o eclipse solar. Esta, por sua vez, atinge a velocidade de 4.000 quilómetros por hora.

Espera-se que os bombardeiros modificados WB-57F permitam aos cientistas observar o eclipse durante mais um minuto e dez segundos.

Ler mais AQUI

Cometa poderia mudar trajectória e ameaçar a Humanidade

Visão artística de coalisão do cometa Swift-Tuttle com a Terra

Segundo o astrónomo Ethan Siegel, existe a possibilidade de que a gravitação de Júpiter acelere o cometa Swift-Tuttle, fazendo-o se dirigir para a Terra e provocar uma explosão 30 vezes mais potente do que a que pôr fim aos dinossauros.

O cometa Swift-Tuttle, que provocou a chuva de meteoritos das Perseidas, poderia mudar sua trajectória em 4479, depois de passar perto de Júpiter e voar em direcção da Terra.

"Se Júpiter provocar pelo menos um pequeno golpe gravitacional, o cometa poderia se dirigir em direcção ao Sol e rumar directamente ao nosso planeta. Se isso acontecer — e existe uma possibilidade real de que tal ocorra dentro de 2400 anos — será a maior extinção em massa que nosso mundo viverá em centenas de milhões de anos", avisa Siegel no seu artigo escrito para o jornal Forbes.

A possibilidade de um fragmento de 36 km de diâmetro, composto por rochas e gelo, destruir nosso planeta é muito pequena. No entanto, se o cometa "acertar o alvo", os dias da humanidade estarão contados, pois o impacto será semelhante à explosão de 20 bombas de hidrogénio.

De qualquer forma, os astrónomos estão seguros que o cometa Swift-Tuttle não representa ameaça — sua órbita poderá mudar nos próximos 2500 anos. Não obstante, os cientistas reconhecem que este é o corpo celeste mais perigoso para a Humanidade no Sistema Solar.

Ler mais AQUI

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Colisão iminente: astrónomos detectam explosão de super nova chocando com estrela

Explosão de supernova chocando com estrela (Ilustração)

Astrofísicos conseguiram observar pela primeira vez como uma onda de choque, originada pela explosão de uma super nova, colide com outra estrela localizada perto do astro morto, de acordo com um artigo publicado na revista Astrophysical Journal Letters.

As chamadas super novas tipo Ia se formam a partir de anãs brancas — antigas estrelas "queimadas" sem fontes de energia próprias, que explodem por causa da fusão de anãs brancas.

Ao invés de outros tipos de super novas, como resultado desta explosão pelo menos uma estrela desaparece completamente e é substituída por uma nuvem quente e brilhante de plasma incandescente e vários metais pesados. Esta nuvem continuará brilhando por milhares de anos antes de esfriar e se apagar definitivamente.

Griffin Hosseinzadeh, da Universidade da Califórnia em Santa Bárbara, e seus colegas descobriram o primeiro caso fidedigno de que a onda de choque, originada por tais super novas, colide não apenas com sua própria matéria, mas também com a estrela vizinha quando observaram a super nova SN 2017cbv. Ela explodiu em março deste ano na galáxia NGC 5643, na constelação de Lupus, a uma distância de cerca de 55 milhões de anos-luz da Terra.

"Há muito tempo que tentávamos encontrar esse show espacial — uma colisão de erupções de uma super nova com a estrela vizinha, cujas consequências foram previstas ainda em 2010. Os sinais de tais cataclismos já existiam antes, mas agora temos provas irrefutáveis que isso acontece realmente", disse Griffin Hosseinzadeh.

Como mostram as observações, após a colisão com a onda de choque, a estrela vizinha não ficou destruída, mas a temperatura da sua matéria e do espaço em redor subiu tanto que estes começaram a irradiar muitíssima radiação ultravioleta. Nada disso acontece após a colisão de pares de anãs brancas.

Os cientistas esperam entender, com as próximas observações de super novas nas primeiras horas depois da colisão, o que ocorre com a estrela restante e como muda sua aparência e propriedades físicas após a parceira ter morrido.

Ler mais AQUI

Ovniólogo sobre aparecimento de extraterrestres: em breve, todos segredos serão revelados

Proxima Centauri B, planeta recém-descoberto  de tamanho igual ao da Terra

A cada dia surgem mais frequentemente notícias que não estamos sozinhos no Universo. Até aparecem rumores que a NASA poderá anunciar oficialmente que os extraterrestres existem.

A Sputnik Sérvia falou com Valery Uvarov, ovniólogo russo, para saber, se estas teorias são reais.

"Isto é bastante real, levando em consideração que a quantidade de factores que indicam para a presença de forças muito poderosas e desconhecidas no Sistema Solar. Estes factores são tão numerosos que agora já não se pode controlá-los", afirma o ovniólogo.

Por isso, continuou Uvarov, surge a necessidade de declarar os extraterrestres como uma realidade e isto seria um passo normal, lógico e razoável por parte da NASA.

Falando da forma de vida alienígena, o ovniólogo afirmou que não importa a aparência, todos eles têm um factor em comum – uma forma de vida humanoide. Estes seres comunicam entre si usando um idioma único que não conhece barreiras. De acordo com Uvarov, trata-se da telepatia, uma aptidão que os terráqueos perderam há 13.670 anos em resultado da queda do planetoide dos Açores.

Data da queda do planetoide dos Açores e da deslocação do eixo da Terra

Este planetoide fez a Terra perder sua órbita, cujo ciclo completo era de 360 dias. Actualmente este ciclo demora 365 dias. Esta mudança, mesmo de apenas cinco dias, provocou a intermitência no sistema de comunicação criado pelos nossos antepassados.

O ovniólogo russo frisou que os terráqueos estão mais ligados às civilizações alienígenas mais vizinhas do que com as que vivem a uma distância mais afastada.

Os extraterrestres que, de vez em quando, são detectados na Terra, de acordo com Uvarov, podem ser divididos em dois grupos: um grupo é composto por representantes de várias galáxias, que usam nosso planeta apenas para comunicações e não têm muito interesse na Terra, pois eles já examinaram tudo por aqui. A relação com os seres humanos pode ser denominada assim: indiferença.

Outro grupo, por sua vez, são nossos vizinhos e estão muito interessados em tudo o que está acontecendo. Este interesse pode ter consequências imprevisíveis para os terráqueos, mas há que destacar que são estes vizinhos que defendem nosso planeta de meteoritos e asteroides, foram eles que defenderam do impacto do meteorito de Tunguska, em 30 de junho de 1908, e do meteorito de Cheliabinsk que caiu há quatro anos.

No entanto, destaca o ovniólogo, este interesse pode ser explicado pelo simples desejo de autodefesa, pois se algum corpo celeste mais uma vez alterar a órbita da Terra, estes nossos vizinhos serão afectados também. A segurança da Terra é um assunto vital para eles.

"Há um planeta no nosso Sistema Solar onde habitam os que, antes dos acontecimentos catastróficos, habitavam em Marte e em Faeton [Nibiru] e depois se mudaram para o planeta que fica por trás do Sol. Este planeta é mencionado nos textos antigos e este planeta é conhecido entre os astrónomos, eles documentaram sua aparição durante 70 anos desde a primeira metade do século XVII, no assim chamado período do mínimo de Maunder", disse Uvarov.

Gráfico indicando o mínimo de Maunder

Este planeta, continuou o ovniólogo, caso a Terra seja afectada, também corre o risco de perder sua órbita.

Localização do planeta que fica por trás do Sol

"Actualmente, o Sistema Solar entrou numa fase da alta instabilidade. Logo, este planeta invisível para a maioria dos habitantes da Terra vai aparecer e todos os segredos serão esclarecidos", explicou Uvarov.

A actividade extraterrestre mais elevada foi detectada na região da Sibéria, onde, de acordo com os ovniólogos, está instalada a base que protege o nosso planeta dos asteroides e meteoritos. Segundo Uvarov, esta instalação funciona de modo autónomo e dispara contra possíveis ameaças provenientes do espaço. Segundo declara Uvarov, ele dispõe de filmagens únicas.

"Um material incrível. O que mais surpreende é o nível de actividade. A instalação dispara por vezes durante horas sem parar. É uma indicação directa da ameaça de meteoritos…", afirmou o ovniólogo.

Segundo ele, este sistema intensifica-se quando surgem hostilidades e conflitos no nosso planeta. Por exemplo, o conflito na Jugoslávia ou a guerra na Síria.

"A instalação tem sua própria fonte energética que está em vários lugares do planeta. Quando acontece um conflito regional, onde morrem pessoas e há muita energia negativa, a instalação de algum modo desperta e provoca uma deflagração de agressividade descontrolada", explicou o ovniólogo à Sputnik Servia.

Na realidade, os contactos de extraterrestes com humanos são frequentes, mas eles têm influência sobre o decurso da história da humanidade e a interferência acontece regularmente.

"De facto, em todo o período histórico que começou há 15.000 anos, eles têm participado de modo invisível e eficaz em tudo o que acontece na Terra. Os factos da sua participação habitualmente não são tão óbvios e as pessoas não costumam discuti-los", diz Uvarov.

O que hoje aparece na mídia e que tem algo a ver com extraterrestres, no entanto, não tem tanta importância para a civilização humana. O mais importante fica na sombra, considera o ovniólogo russo, expressando o desejo de que tudo mude e as pessoas comecem prestando mais atenção ao que está acontecendo.
Localização do planeta que fica por trás do Sol

Ler mais AQUI

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Intel lança “Régua SSD” que pode armazenar 300 mil filmes HD

Novo formato em régua de armazenamento SSD lançado pela Intel
Na tentativa de levar mais longe a sua tecnologia de armazenamento SSD, a Intel revelou há alguns dias um novo elemento com uma forma igualmente revolucionária no que toca a armazenamento. Exatamente, falamos num régua SSD, fina, que pode armazenar 1 Petabyte de dados com potência reduzida e esforço de arrefecimento igualmente reduzido.

A gigante americana, contudo, não revelou nem o preço nem a data de lançamento deste curioso formato de armazenamento.

A Intel anunciou os seus principais avanços na tecnologia de armazenamento de data center. Os novos desenvolvimentos incluem o novo formato de régua com tecnologia SSD da Intel, SSDs de porta dupla da tecnologia Intel Optane, SSDs de porta dupla 3D NAND, etc. Fora isso, o novo padrão em forma da régua rouba toda a atenção, pois claro!

Como os gigantes da tecnologia estão a mudar para as tecnologias de armazenamento em estado sólido, também estão prontos para experimentar novas formas de armazenamento de dados. No início, os SSDs seguiram o clássico modelo do disco rígido com unidades de 3,5 polegadas e 2,5 polegadas. O padrão em forma da régua Intel armazena até 1PB (Petabyte) num servidor 1U, de acordo com o TechGage.

Basicamente, esta forma longa e magra, uma régua SSD na sua plenitude, oferece a maior capacidade de armazenamento para um servidor com as mais baixas necessidades de energia e refrigeração requeridas.

Este SSD de próxima geração usará a tecnologia Intel 3D NAND para armazenar cerca de 300.000 filmes HD ou cerca de 70 anos de entretenimento contínuo. Como comparação, para alcançar o mesmo armazenamento com um disco rígido de 10 TB precisa de um servidor carregado de 4U de 100 baías.

No momento, a Intel absteve-se de fornecer mais detalhes, preços e data de lançamento do SSD em régua.

Será que este novo formato irá “fazer escola” e mudar o nosso conceito de “disco” mudando todo um conceito no que toca ao armazenamento?

Ler mais AQUI

Começa hoje a batalha para alargar Portugal


Entregue nas Nações Unidas em 2009, a proposta de submissão para aumentar o território marítimo vai finalmente ser avaliada

Está marcada para esta segunda-feira, 14 de agosto, a primeira reunião entre Portugal e o Grupo 
de Trabalho da Comissão 
de Limites da Plataforma Continental da ONU.

O que é a extensão da plataforma continental

Prevista na Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar, visa aumentar o território marítimo sob jurisdição dos Estados Costeiros – permitindo definir um limite no solo e subsolo para lá das 200 milhas medidas a partir da linha de costa

Importância do projeto

A exploração de recursos minerais, um dos pilares de desenvolvimento das sociedades, e esta nova soberania sobre mais território, proporcionará, espera-se, novas oportunidades no acesso a recursos naturais com elevado potencial económico

Mar mineral

Esta nova soberania sobre mais território, proporcionará, espera-se, novas oportunidades no acesso a recursos naturais com elevado potencial económico. Nos fundos marinhos de Portugal, já se sabe, existem minerais com utilizações várias, desde o fabrico de telemóveis e computadores a tratamentos anticancerígenos

ÁREA TOTAL PREVISTA DO PAÍS NO FINAL DO PROJETO

4 milhões km2

- Território terrestre: 92 mil km2
- Fundo marinho da Zona Económica Exclusiva
(compreende a coluna de água e o fundo do mar): 1 600 mil km2
- Plataforma continental (para lá das 200 milhas) 2 150 mil km2
(inclui apenas o solo e o subsolo em toda a extensão do prolongamento natural do seu território terrestre)

Ler mais AQUI

domingo, 13 de agosto de 2017

Os buracos negros como "fontes de vida" no universo

Há dois anos foram captadas as primeiras ondas gravitacionais emitidas por buracos negros. Grupo do Técnico testa limites da teoria de Einstein

Há alguns meses, Vítor Cardoso, físico e coordenador do grupo de gravitação do Instituto Superior Técnico, tinha acabado de dar uma palestra numa escola do Porto quando uma aluna veio ter com ele. A estudante contou-lhe que tinha sido surda toda a sua vida mas, pouco tempo antes, fizera um implante que lhe dera acesso a toda uma dimensão que antes lhe estava vedada. "Primeiro foi a confusão, o som muito alto, o cérebro a tentar lidar com aquelas informações que lhe chegavam. Mas depois deu por si a surpreender-se ao perceber que conseguia entender o que as pessoas lhe diziam."

Naquele momento, professor e aluna perceberam que ela era a versão, em carne e osso, de uma analogia que ele e muitos outros físicos usavam para explicar a importância da primeira deteção de ondas gravitacionais, em setembro de 2015, por um equipamento que vinha a ser desenvolvido há duas décadas nos Estados Unidos.

Antes dessa primeira deteção, nomeadamente a partir de 2005, recorrendo a supercomputadores, já tinha sido possível começar a resolver e demonstrar as complexas equações de Albert Einstein, a demonstrar matematicamente que o que o cientista alemão dizia sobre os buracos negros, sobre a gravidade, sobre a relação de forças que molda o universo batia certo.

Tal como a aluna surda sabia que o som existia, mesmo nunca tendo ouvido, os cientistas também estavam convictos de que as ondas gravitacionais existiam, apesar de nunca as terem antes captado. De resto, explica Vítor Cardoso, só esse trabalho prévio, esses cálculos realizados por supercomputadores que chegavam a levar "meses" a resolver as equações possibilitaram o acontecimento de 2015. "Só conseguimos encontrar uma coisa se soubermos muito bem como a procurar." Mas a partir daquele momento, mais do que uma validação das teorias, dos cálculos, abriu-se toda uma nova janela para o universo. "Esta deteção significa que nós agora temos, por assim dizer, um novo olho, que vai conseguir olhar lá para fora e ver buracos negros como os olhos normais não conseguem ver. Ou seja: testar as coisas que nós estamos a estudar em teoria."

Varinhas mágicas da matéria

Na cultura popular, os buracos negros são muitas vezes imaginados como assustadoras forças de destruição, capazes de devorar toda a matéria que os rodeia. Mas esta descrição, defende o físico, é francamente injusta. "Um buraco negro é muito mais uma fonte de vida do que uma fonte de morte", assegura. E cair num buraco negro "é muito mais difícil do que cair na Terra".

Nos últimos 20 anos, além de chegarem à "grande certeza de que os buracos negros existem", os cientistas descobriram que estes são forças vitais capazes de moldar o universo. "Praticamente todo o universo que nós conhecemos, as estrelas, o Sol, nós próprios são mais ou menos produto do facto de esses buracos negros existirem", descreve. "Isto é, o buraco negro, sabemos agora, é um bocado como a varinha da cozinha, é uma força que mexe a matéria no universo e que faz as coisas acontecerem." Se estes não existissem, garante, "o universo seria um sítio muito mais aborrecido".

Porque é que as ondas gravitacionais são importantes para a sua compreensão? Porque são um testemunho, com milhões de anos, das dinâmicas envolvidas nesse processo de transformação.

"A Terra não cai no Sol porque não perde muita energia. Mais cedo ou mais tarde, o Sol é que vai cair na Terra, mas essa é outra história. Mas quando os objetos são buracos negros, ou algo de semelhante, que se deslocam a velocidades muito grandes e estão muito próximos um do outro, eles começam a emitir ondas gravitacionais."

As ondas correspondem à perda de energia que, inevitavelmente, conduz ao choque entre esses objetos. A sua análise permite reconstituir os acontecimentos, mas também descrever o ambiente onde estas forças evoluem, porque a dimensão da perda de energia está diretamente relacionada com a presença de matéria escura. "A observação de ondas gravitacionais permite perceber como é que a matéria escura está distribuída no universo. Em particular, já nos permitiu excluir alguns tipos de matéria escura."

Menos de dois anos após a deteção destas ondas, cientistas de todo o mundo já fizeram descobertas que fizeram evoluir radicalmente o conhecimento sobre este tema. "Já sabemos que existem os buracos negros, sabemos calcular a massa deles, sabemos onde é que eles estão com uma precisão razoável, como já começámos até a fazer coisas que eu diria que eram extraordinárias há cinco anos, que é usar estes acontecimentos para dizer algo mais acerca do que existe no universo."

É também este o trabalho do grupo do Centro Multidisciplinar de Astrofísica liderado por Vítor Cardoso. No último ano, além de confirmarem que a informação obtida das ondas gravitacionais é compatível com a existência dos buracos negros, verificaram também que esta "não exclui muitos outros objetos", previstos por teorias alternativas às de Einstein.

Testar os limites das teorias do cientista alemão é precisamente o trabalho que têm agora em mãos, contando com um apoio - no valor de 1,5 milhões de euros - do Centro Europeu de Investigação.

Astrofísico reconhecido a nível mundial

De cabelo comprido apanhado atrás das costas e T-shirt e um discurso descontraído, em que recorre com frequência a exemplos mundanos para facilitar a compreensão de temas altamente complexos, Vítor Cardoso, 42 anos, é em muitos aspetos a antítese do formalismo que o cidadão comum esperaria encontrar num investigador e académico com o seu estatuto. Parece aquele professor de Matemática que todos gostaríamos de ter tido na adolescência. Mas é, na realidade, um dos astrofísicos mais bem-sucedidos que Portugal já deu à ciência. Professor do Instituto Superior Técnico, lidera o grupo de gravitação do Centro Multidisciplinar de Astrofísica (CENTRA), no Departamento de Física desta instituição. Tem um livro e mais de 1550 artigos científicos publicados sobre ondas gravitacionais e buracos negros. Além de sucessivas bolsas do European Research Council - o financiador europeu da elite dos investigadores do continente -, o trabalho de Vítor Cardoso foi distinguido recentemente pelo Presidente da República, que lhe atribuiu a medalha da Ordem de Sant"Iago da Espada.

Equipa é uma verdadeira sociedade das nações

O grupo de gravitação do CENTRA combina cientistas de várias origens e competências, assemelhando--se a uma pequena sociedade das nações. Laura Bernard, investigadora francesa, tem como principal tarefa estudar o movimento de corpos sob a ação de ondas gravitacionais. O investigador japonês Masashi Kimura dedica-se a estudar teorias alternativas da gravidade. George Pappas, grego, estuda estrelas de neutrões. E David Hilditch, britânico, estuda a resolução das equações de Einstein em computadores. Essa é também a tarefa do português Miguel Zilhão. A equipa inclui ainda os técnicos Sérgio Almeida e Miguel Torrinha, cuja função é garantir o funcionamento de outro membro inestimável do grupo: o supercomputador Baltasar Sete Sóis, cujo nome é inspirado na personagem principal de Memorial do Convento, de José Saramago, que se caracterizava por apenas ver à luz. Lorenzo Annuli, Miguel Ferreira, Jorge Lopes, Kyriakos Destounis e Rodrigo Vicente são alunos de doutoramento que estudam como a matéria escura se comporta em redor de buracos negros.

Fonte: DN

Startup alemã quer construir torre de comunicação na Lua

Startup alemã quer construir torre de comunicação na Lua

O satélite natural da Terra é visto como um ‘degrau’ importante na chegada a Marte.

Astartup alemã PTScientists tem em vista enviar dois rovers para a Lua de modo uma transmissão de sinal LTE, a mesma ligação utilizada pelos dispositivos móveis na Terra para se ligarem à internet e trocarem mensagens entre si.

Ainda que seja o trabalho de apenas uma startup, a criação de um ponto de ligação LTE na Lua está a ser visto com entusiasmo pela comunidade espacial e aeronáutica. Isto porque a Lua é considerado um importante ‘degrau’ no objetivo de um dia chegar a Marte e, conseguindo criar esta ligação LTE, será possível ter uma infraestrutura mais sólida.

“Recolheremos muitos dados científicos na Lua e a conetividade de alta velocidade que a LTE nos dá permitirá que os rovers comuniquem e enviem dados valiosos de volta para a Terra”, nota o engenheiro da equipa, Karster Becker, em entrevista à Wired.

Fonte: NM

sábado, 12 de agosto de 2017

IBM bate recorde de armazenamento com um cartucho no qual cabem 330 milhões de livros

Cartucho da IBM de fita magnética por pulverização catódica.
Cartucho da IBM de fita magnética por pulverização catódica. IBM
Trata-se de uma nova tecnologia de fita magnética, a mesma usada pelas cassetes

Os cientistas da IBM desenvolveram um cartucho de fita magnética que cabe na palma da mão e pode armazenar 330 terabytes de dados sem comprimir ou o equivalente a 330 milhões de livros. O dispositivo consegue uma densidade recorde de 201 gigabit por polegada quadrada, que é mais de 20 vezes a densidade convencional das fitas magnéticas comerciais, graças à tecnologia de pulverização catódica.

As fitas magnéticas foram inventadas há mais de 60 anos e, depois de serem protagonistas da era da cassete e do vídeo Beta e VHS, continuaram no mercado para grandes centros de armazenamento como os que são utilizadas tradicionalmente para o arquivo de documentos fiscais e expedientes médicos, pelo baixo custo. A primeira unidade de fita da IBM utilizava carretéis de meia polegada de largura que só podia conter cerca de 2 megabytes, segundo publica o site de tecnologia The Verge.

Em colaboração com a Sony

Esta nova fita foi fabricada em colaboração com a Sony Storage Media Solutions e, segundo os responsáveis pela sua criação, vai permitir manter a viabilidade destas soluções de armazenamento durante a próxima década.

“A fita é utilizada tradicionalmente para os arquivos de vídeo, cópias de segurança, réplicas para a recuperação e conservação da informação nas instalações de desastres, mas a indústria também está se expandindo para os aplicativos na nuvem”, afirmou Evangelos Eleftheriou da IBM, num comunicado.

“Apesar de que se espera que a fabricação da fita obtida por pulverização catódica tenha um custo de fabricação um pouco maior do que a fita comercial actual, o potencial de capacidade muito alta fará com que o custo por terabyte seja muito atractivo, tornando esta tecnologia prática para o armazenamento frio na nuvem.”

Ler mais AQUI

Enorme barragem na China afeta a rotação da Terra

Imagem relacionada

Os cientistas já desconfiavam há algum tempo de que quando se enche a barragem de Three Gorges, na China, a rotação da Terra é afetada.

A barragem é situada na província de Hubei, na China, e é onde se localiza a maior estação de energia hidroelétrica do planeta, capaz de gerar 22500 MW. Quando está cheia, a água chega a estar a 175 metros acima do nível do mar e a 95 metros acima do nível do rio. O reservatório de água acumulada tem o potencial para inundar até 632 quilómetros quadrado de superfície e inclui 42 mil milhões de toneladas de água.

Agora, os cientistas da NASA confirmam que, quando a barragem se enche, dá-se um fenómeno denominado de momento de inércia, que afeta a rotação da Terra. Segundo os investigadores, a barragem cheia atrasa a rotação da Terra, aumenta a duração do dia em 0,06 microssegundos e até consegue alterar a forma do planeta, tornando-o mais arredondado no meio e achatado nos pólos.

Ler mais AQUI

Voltou para casa o estudante que escreveu 14 livros encriptados e desapareceu misteriosamente

Imagem relacionada

Bruno Borges, o “menino do Acre”, como ficou conhecido, voltou para casa. Depois de cinco meses desaparecido, num caso recheado de mistérios, o estudante de 25 anos reapareceu, tendo voltado à casa onde vivia com seus pais.

O estudante de psicologia brasileiro Bruno Borges, de 24 anos, que estava misteriosamente desaparecido desde o mês de março, voltou para casa. Athos Borges, pai do estudante, confirmou à imprensa que o filho apareceu em casa na manhã desta sexta-feira, e diz que o rapaz está bem. “Todos estão aliviados com o seu regresso”, diz o empresário.

Contudo, Bruno Borges não deve ficar muito tempo em casa, devido ao grande número de pessoas curiosas que se aglomeram no local, à espera de saber o que aconteceu com o estudante, que desapareceu deixando 14 livros, mensagens criptografadas e as paredes do quarto forradas com misteriosas ilustrações.

O jovem será nos próximos dias ouvido pela polícia, que vai tentar esclarecer as circunstâncias que levaram ao seu desaparecimento. “Não vamos ouvi-lo hoje, porque este é um momento para ele se reencontrar com a família”, explicou Alcino Júnior, o agente responsável pelo caso.

Desaparecido no dia 27 de março, Bruno Borges deixou no seu quarto 14 manuscritos encriptados, escritos misteriosos nas paredes, tecto e chão, e uma estátua do filósofo italiano Giordano Bruno, cujo valor foi estimado em cerca de 3 mil euros.

 
Os 14 livros que Bruno Borges deixou no seu quarto

A polícia chegou a deter e interrogar Marcelo Ferreira, um amigo de Bruno, depois de terem sido descobertos dois contratos entre os dois jovens, um dois quais autenticado no dia do desaparecimento de Bruno Borges, que estabeleciam percentagens de lucros com a venda dos livros do estudante.

Bruno Borges regressa a casa pouco depois de os pais terem lançado um dos seus livros, “TAC: Teoria da Absorção do Conhecimento”, que entrou para a lista de mais vendidosem várias regiões do país.

De acordo com a editora Renata de Carvalho, responsável pela publicação dos livros do estudante, o próximo livro, “Caminho para a Verdade absoluta”, deverá ser lançado nos próximos 3 s.

Para a Polícia Civil, o conjunto dos contratos, e-mails e mensagens trocadas entre Borges e os amigos, como Marcelo Ferreira, indiciam que o desaparecimento do ‘menino do Acre’ não passou (como se suspeitava) de um plano de marketing do seu livro.

Afinal, quando há dias perguntámos “quanto mais tempo conseguiria Bruno Borges aguentar desaparecido em parte incerta, sem poder colher os louros da sua criatividade e reclamar os direitos de autor de tão peculiar obra?”, a resposta era… 15 dias.


Ler mais AQUI

Nem dá para acreditar: americano acha meteorito em chamas no pátio de sua casa

When he approached, Jay Sullivent discovered the middle of the crater was alight, with a pink rock in the middle

Ao ouvir um forte estrondo fora de sua casa, primeiro o homem que gravou este vídeo pensou que se tratava de um acidente de carro.

Um cidadão americano da cidade de Appling, localizada no estado da Geórgia, foi apanhado de surpresa quando descobriu no seu pátio traseiro um meteorito em chamas dentro de uma cratera. O homem filmou o objecto com seu telemóvel e postou estas imagens inéditas na sua página do YouTube.

Segundo o jornal britânico The Daily Mail, em 21 de julho Jay Sullivent escutou um forte estrondo fora de sua casa e pensou que fosse um acidente de automóvel. Entretanto, não encontrou nenhum veículo fora quando saiu, porém, no relvado do seu pátio achou um círculo queimado com chamas no meio.

Ao se aproximar do objecto, Sullivent viu que dentro do buraco estava uma pedra rosada que ainda ardia, dado que o homem sentiu o calor que esta desprendia.

"É um maldito meteorito!", exclamou o americano, depois retirou o objecto com uma navalha. A cratera, segundo as estimativas, era de uns 15 centímetros de largura e de profundidade.


Ler mais AQUI

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

'É perto para caramba': asteroide aproxima-se da Terra em breve

Asteroide aproxima-se da Terra

No dia 12 de outubro, um asteroide passará muito perto da Terra, avisa a Agência Espacial Europeia (ESA).

Segundo dados da ESA, o diâmetro do asteroide pode chegar aos 30 metros. Assim, seu tamanho pode ser comparado ao de uma casa, indica a agência AFP.

A entrada de um asteroide desta proporção na atmosfera terrestre causaria efeito semelhante ao da invasão do meteorito de Chelyabinsk.

A queda do legendário meteorito de Chelyabinsk, que caiu na cidade russa no dia 15 de fevereiro de 2013, deixou mais de 1400 feridos, assim como danos materiais equivalentes 16,7 milhões de dólares.

Conforme dados da ESA, o asteroide passará a 44 kms da Terra.

"É perto para caramba", afirma o chefe do Centro Europeu de Operações Espaciais, Rolf Densing.

Felizmente, segundo ele, a distância que separará nosso planeta do asteroide é "bastante segura".

Ler mais AQUI

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

POR QUE RAZÃO ME INTERESSO TANTO PELA HISTÓRIA DE PORTUGAL?

Foto de Eduardo Amarante.

A meu ver, e salvo melhor critério, Portugal alberga, consciente disso ou não, a chave para guiar os sobreviventes de uma grande catástrofe, que se pode abater sobre a Humanidade !

Portugal nasceu dos planos de um iniciado borgonhês, São Bernardo do Claraval, que teve a visão de criar uma Europa, concretamente uma EUROPA UNIDA PELA FÉ CRISTÃ. O Conde D. Henrique, pai de D. Afonso Henriques, era da mesma cidade e seu amigo. Foi São Bernardo quem escreveu os estatutos da ORDEM TEMPLÁRIA e interveio junto do Papa para que um grupo de 9 cavaleiros se transformasse numa Ordem Religiosa Militar, de dimensão e poder como o mundo nunca tinha visto. Foi este São Bernardo quem também criou a ORDEM TEUTÓNICA. Enquanto a TEMPLÁRIA restabeleceu a governação cristã nas costas atlânticas da Península Ibérica, ocupando grande parte da antiga Lusitânia, a TEUTÓNICA criou uma barreira protectora no lado oriental da Europa, para impedir mais invasões asiáticas ou muçulmanas.

A secção Lusitana da ORDEM TEMPLÁRIA e a ORDEM TEUTÓNICA, mantiveram estreitos laços durante séculos. Lisboa tornou-se cidade ligada à Liga Hanseática. Cavaleiros portugueses, que acabaram por vencer os castelhanos na batalha de Aljubarrota, fizeram-se ao Mar Báltico para oferecer os seus serviços à Ordem Teutónica, com o intuito de salvar a Europa, facto pouco conhecido entre nós.

Mesmo após a dissolução da ORDEM TEMPLÁRIA, ordenada pelo Papa e a sua transformação em ORDEM DE CRISTO, podemos seguir uma linha de contactos constantes, secretos ou não, entre os cavaleiros portugueses e os alemães. Permito-me mencionar apenas alguns nomes para que mesmo o menos prevenido leitor, comece a ver como encaixam as peças do grande "puzzle":

A) A Rainha SANTA ISABEL, infanta de Aragão, era descendente do Imperador Frederico Barbarroxa, do Sacro Império Romano de Nação Germânica. Foi sua tia-avó, a SANTA ISABEL da Turíngia ( infanta da Hungria), a quem 1º se atribuiu o Milagre das Rosas. Ambas introduziram, em época de aflição, O CULTO DO ESPÍRITO SANTO, que se encontra patente em todas as versões do cristianismo, surgidas por acção directa dos verdadeiros apóstolos de Jesus Cristo.

B) Martinho da Boémia ( cartógrafo de D. João II );

C) Os irmãos Reinel ( cartógrafos de D. Manuel I );

D) Damião de Góis, que recebeu carta de nobreza do Imperador Carlos V e contactou os maiores cérebros alemães da sua época;

E) O Infante D. Pedro, que recebeu as suas esporas de ouro por combater ao serviço do Imperador Alemão;

F) e muitos milhares de alemães, que acompanharam a expansão portuguesa, tanto nas horas de glória como nas de derrota.

Milhares já tinham caído na tomada de Lisboa, em 1147, e o Papa declarou que a Igreja de São Vicente de Fora fosse construída por cima das suas ossadas; o túmulo do cavaleiro teutónico, Henrique de Bona, deu origem à Rua da Palma ( dos milagres ); grande parte dos tipógrafos, espingardeiros, artilheiros ao serviço luso, eram de origem germânica.

Geralmente não se fala disso, mas morreram mais de dez mil guerreiros alemães para que se erguesse o MUNDO PORTUGUÊS. Basta estudar mais a fundo o papel do Duque de Schomberg no século XVII; o do Conde Reinante de Schaumburg-Lippe no século XVIII; o do Rei Regente D. Fernando II ( von Sachsen Coburg Gotha), para se ver a continuação de interligações de cavaleiros teutónicos com Portugal.

Fala-se muito dos 2 casamentos régios entre a Grã-Bretanha e Portugal e de outros 2 entre a Itália e Portugal e de 1 entre a França e Portugal, mas poucos se dão conta de que houve ONZE CASAMENTOS entre as Casas Reinantes Lusas e as alemãs, tendo duas infantas portuguesas ocupado o trono imperial alemão.

Isto são apenas "dicas" para quem quiser estudar um pouco a ligação entre estes dois povos fronteiriços da antiga Europa, que se encontra agora perante o perigo de desmoronar. Não será simplesmente lógico esperar que estas Ordens Religiosas Militares, entradas na clandestinidade há muito, ainda existam e teçam os seus contactos ?

Nunca houve uma nação geograficamente tão pequena, que, com tão pouca gente, escreveu páginas tão significativas na evolução do ser humano, como a portuguesa !

Não terá havido quem quisesse compartilhar e integrar-se nesta tarefa ? Por alguma razão Fernando Pessoa disse: " ...A alma portuguesa deve estar com a sua irmã, a alma germânica..." e "...a meu ver, nada pode ter tão férteis resultados como uma aliança espiritual com a Alemanha, que, por ser nossa análoga psíquica, nos deve legar a continuação espiritual ..."

Talvez isto explique um pouco as razões que me levam ao estudo da História de Portugal. Todavia, há outra, muito mais simples e de maior peso: AMO PORTUGAL !"
Rainer Daehnhardt


Fonte: Facebook

Cientistas criam hidrogénio (quase) instantâneo a partir de água e alumínio


Este pode ter sido um grande passo para tornar o hidrogénio uma fonte de combustível fiável uma vez que pode ser produzido em poucos minutos e com 100% de eficácia.

Foi acidentalmente que a equipa de investigadores descobriu uma maneira de criar hidrogénio de forma praticamente instantânea. O elemento químico é visto como um possível combustível do futuro devido à sua grande abundância, mas tem associado uma grande dificuldade: a do transporte do mesmo.

Os investigadores do Laboratório de Investigação do Exército dos EUA, em Aberdeen Proving Ground, fizeram a descoberta ao verter água numa nova liga de alumínio que, automaticamente, começou a formar hidrogénio. Já se sabia que era possível produzir o elemento químico através da junção de água e alumínio, mas apenas quando expostos a temperaturas muito elevadas e, o hidrogénio produzido, era apenas 50% eficiente.

"O nosso é aproximadamente 100% eficiente em menos de três minutos", contou Scott Grendahl à New Scientist. Esta descoberta acaba por ter grande relevância porque, sendo produzido rapidamente e através de água e alumínio, torna-se muito mais fácil e estável transportar os materiais em vez de o fazerem com o hidrogénio.

Se este método for fiável e conseguir ser reproduzido em grande escala poderá vir a ser a solução para a utilização de uma fonte de energia mais limpa e que facilmente pode ser criada num curto espaço de tempo.

O próximo passo agora é testar se é possível reproduzir a experiência fora do laboratório, num ambiente menos controlado, uma tarefa que os investigadores estão confiantes de que será possível.

Ler mais AQUI

Paleontólogos desenterraram dinossauro do tamanho de avião comercial na Argentina

Patagotitan, supostamente, o maior animal que já habitou a Terra

Paleontólogos encontraram na Argentina os fósseis de um dinossauro herbívoro. O achado tem seis metros de altura, 35 metros de comprimento e pesa 61 toneladas, o que faz dele um dos maiores animais terrestres na história da Terra, diz o artigo, publicado na revista Proceedings of the Royal Society B.

Segundo os cientistas, o dinossauro encontrado, que recebeu o nome de Patagotitan mayorum, pertence à classe dos Titanossauros, ou seja, à família das maiores criaturas que habitaram a Terra.

A família titanossaura é considerada "lixeira" entre os dinossauros herbívoros gigantes, pois a esta classe cientistas atribuem todos os fósseis encontrados que não correspondem a outras espécies.

Os restos da maioria dos Titanossauros, inclusive os Argentinossauros gigantescos, com 35 metros de comprimento e peso entre 55 e 90 toneladas, foram encontrados na Patagónia — província no sul da Argentina, onde havia condições climáticas favoráveis de vida para eles no passado.

Diego Pol do Museu Paleontológico Egidio Feruglio (Argentina) e seus colegas descobriram mais um Titanossauro que, segundo eles, pode ser o maior animal já encontrado na Terra.

"Se colocar um Patagotitan e um Tiranossauro, o último pareceria um anão", conta o autor do artigo.

Durante as escavações, os paleontólogos encontraram fósseis de seis Titanossauros, que teriam morrido por causa de uma inundação ou desabamento.

Cientistas desenterrando Patagotitan de rochas do período Cretáceo

Graças a isso, os fósseis dos répteis gigantescos foram encontrados em óptimas condições, o que permitiu aos especialistas avaliar com precisão a massa, altura e comprimento destes e compreender que eles pertencem a novos representantes da família, e não a Argentinossauros ou Titanossauros.

Segundo os cientistas, o recente achado dificultou ainda mais o enigma do nascimento dos Titanossauros, pois a massa destes veio a ser muito menor à dos Patagotitan.

Ler mais AQUI

Perseidas. Uma chuva de estrelas para abrilhantar as noites do fim de semana

Resultado de imagem para chuva de estrelas

Reserve a noite de sábado para domingo para olhar o céu e nem precisa de ficar acordado até muito tarde já que em Portugal o pico é visível na madrugada do dia 13 a partir da 1 hora

As noites do próximo fim de semana, que se preveem pelo menos amenas, vão oferecer a oportunidade ideal para observar as Perseidas, a chuva de estrelas anual que marca o verão dos apaixonados pelas astronomia.

Aproxima-se o pico desta chuva de estrelas - também conhecida como as Lágrimas de São Lourenço, por ocorrer perto do dia 10 de agosto, dedicado ao santo -, que este ano será a 12 de agosto, a partir das 14.00 e até às 2.30 do dia seguinte. Ou seja, reserve a noite de sábado para domingo para olhar o céu - e nem precisa de ficar acordado até muito tarde já que em Portugal o pico é visível na madrugada do dia 13 a partir da 1 hora, segundo o Observatório Astronómico de Lisboa (OAL).

O OAL lembra que valerá a pena "observá-las à noite nos dias próximos do pico e até ao dia 24 de agosto" e que a melhor altura será nas noites próximas da Lua Nova, ou seja, no fim de semana seguinte - a fase de Lua Nova ocorre no dia 21 às 19:30 horas. Em média, esperam-se cerca de 150 meteoros por hora.

Os conselhos para uma boa observação são simples: fuja à poluição luminosa, se puder, escolha céus pouco nublados e não se esqueça de levar uma manta confortável para se sentar e apreciar o espetáculo. Não é necessário qualquer equipamento.

Esta chuva de estrelas é causada pelo cruzamento da Terra, no seu movimento de translação, com a órbita do cometa Swift-Tuttle, que vai deixando um rasto de detritos, poeiras e pequenas partículas - são estes detritos que entram na atmosferas terrestre deixando "rastos luminosos" designados popularmente como estrelas cadentes. A constelação de Perseus aparecerá acima do horizonte a Nordeste.

Fonte: DN

China testa com êxito tecnologia capaz de realizar teletransporte

China testa com êxito tecnologia capaz de realizar teletransporte

Satélite de telecomunicação quântica lançado pela China há um ano enviou dados para a Terra. 

O primeiro satélite de telecomunicação quântica do mundo, lançado pela China há um ano, enviou com êxito dados para a Terra, cimentando as bases para uma rede global de comunicação quântica, informou esta quinta-feira a imprensa estatal. 

A agência noticiosa oficial Xinhua avançou que o QUESS (sigla em inglês para Experiência Quântica à Escala Espacial) operou com êxito e os resultados foram publicados pela revista académica Nature. 

Os cientistas chineses converteram-se nos primeiros a realizar a transmissão de comunicação quântica a partir de um satélite para a Terra, depois de, em agosto de 2016, terem lançado o satélite do centro de Jiuquan, no deserto de Gobi (noroeste do país). 

A comunicação quântica baseia-se nas alterações do estado das partículas subatómicas, como os fotões, e pode ter dois grandes usos: um sistema de transmissão de dados mais rápido do que os atuais e impossível de intercetar e, mais complicado, o teletransporte. Estados Unidos, Europa ou Japão já experimentaram a comunicação quântica à superfície, mas a China, que também iniciou o desenvolvimento de uma rede de transmissão deste tipo, entre Pequim e Xangai, é o primeiro país a fazê-lo a partir do espaço. 

O satélite enviou comunicação quântica para as estações terrestres em Xinglong e Nanshan, no norte e noroeste da China, respetivamente, explicou o físico chinês Pan Jianwei, que dirige o projeto, citado pela Xinhua. 

A distância da comunicação entre o satélite e a estação terrestre varia entre 645 e 1.200 quilómetros e a velocidade da transmissão é até vinte vezes superior à velocidade máxima atingida com fibra ótica. 

A comunicação quântica "pode, por exemplo, permitir uma chamada telefónica absolutamente segura ou transmitir uma grande quantidade de dados bancários", afirmou Pan.

"A distribuição de chaves quânticas, baseada nos satélites, pode vincular-se a redes quânticas metropolitanas" e servir para "conectar numerosos utilizadores dentro de uma cidade com mais de 100 quilómetros", acrescentou o cientista. 

Os cientistas esperam aplicar este novo tipo de comunicação em áreas como a Defesa ou Finanças.

Ler mais AQUI 

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Um enorme 'buraco' sobre a Finlândia fascinou os usuários das redes sociais

FOTOS: Uma enorme 'buraco' sobre a Finlândia fascina usuários de redes sociais

Imagens de um 'vórtice' formado entre as nuvens do céu de Helsinki chamou a atenção dos presentes e virilizou a Internet.

Um 'buraco' no céu de Helsinki (Finlândia) atraiu o olhar de muitas pessoas durante a manhã de quarta-feira, informou a média local .

Testemunhas oculares dizem ter visto como diversas nuvens se agruparam de modo que parecia um vórtice e instantâneos do fenómeno foram compartilhados nas redes sociais .

Jääkiteet reagoivat alijäähtyneistä pisaroista koostuneen pilvilautan kanssa ->pilvi alkoi sataa alas ja siihen syntyi aukko. #pilvifysiikka
Vários dos presentes expressaram a sua perplexidade, porque temiam que a formação estranha fosse o começo de um tornado.

No entanto, o Instituto de Meteorologia Finlandês explicou que o mais provável fora o resultado de uma reacção entre as camadas altas e baixas das nuvens.

Fonte: RT

Novo site em Português para veres filmes e séries legendados


Este é um novo site e ainda não está bloqueado em Portugal. Mas, não te preocupes, quando e se vier a estar, sabes que o Ahoy! resolve isso. Confere o Ahoy! para FireFox e para Chrome, e aproveita para desbloquear mais de mil sites bloqueados em Portugal.

O site chama-se Tuga.gq, e segundo o Aberto até de madrugada é dos mesmos criadores do Tuga.io, um site criado há algum tempo que tinha entretanto desaparecido.
O site tem muitas novidades e está em fase beta.

Como me posso registar?

O registo é gratuito e demora menos de 1 minuto. Basta ires a esta página e preencheres o teu e-mail e escolheres uma password.
Em seguida, tens que ativar a tua conta, verificando a tua caixa de e-mail.
A partir daí podes-te ligar em mais do que um dispositivo com a mesma conta de e-mail.

Quando estás logaado, podes pesquisar (em cima do lado direito) ou navegar pelos filmes e séries.
Escolhes o filme ou, no caso das séries, a temporada, e o episódio.
Em seguida pode-te abrir uma janela de publicidade antes de clicares no vídeo. Basta fecha-la. Além desta janela, o site não tem qualquer publicidade.
Testámos vários filmes e séries e estão todos legendados, em Português de Portugal.

O site pode ficar bloqueado?

Sim, pode. Mas como dissemos em cima, basta usares o Ahoy! e o problema fica resolvido.

Portanto, se queres ver filmes rapidamente no PC, aproveita este novo site, criado por equipas antigas do Tuga.io e com o design antigo do Tuga.io.

Acede já:

Ler mais AQUI
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...